Branqueamento dentário

Branqueamento dentário

Cuidado com os anúncios e técnicas que prometem "sorrisos de Hollywood". Antes de fazer um branqueamento dentário, fale com o seu dentista para branquear os dentes de forma correcta e segura.

O dente é formado pela coroa (parte visível que está acima da gengiva) e pela raiz (parte que não se vê e que está abaixo da gengiva). A coroa é formada por um núcleo de dentina recoberta por um tecido chamado esmalte. A raiz é formada por um núcleo de dentina recoberta por um tecido chamado cemento;

A cor de um dente depende da tonalidade da dentina e da transparência e capacidade de refracção da luz do esmalte. Os dentes vão-se escurecendo (escurecimento fisiológico) através da infiltração de substâncias corantes através do esmalte poroso (ex. fumo do tabaco, café, chá, sobretudo o chá preto, algumas bebidas e comidas).

Em que consiste um branqueamento dentário?

O branqueamento dentário consiste em eliminar, por meio de substância químicas (peróxido de hidrogénio e peróxido de carbamida), os corantes infiltrados através do esmalte devolvendo aos dentes a sua cor original.

O peróxido de hidrogénio proporciona um branqueamento mais rápido (mais recomendado para uso em clínica sob supervisão direta de profissionais de saúde). Por seu lado, o peróxido de carbamida proporciona um branqueamento mais duradouro (mais recomendado para branqueamento domiciliário sob supervisão indireta de profissionais de saúde).

Apresenta-se como uma técnica segura que oferece resultados bastante satisfatórios (os dentes ficam mais claros em 3 de cada 4 casos selecionados). No entanto, existem algumas contraindicações como seja a presença de sensibilidade dentária, doença das gengivas, presença de dentes com cárie ou defeitos de formação a nível do esmalte (ex.: dentes com manchas brancas), gravidez, crianças (a polpa do dente das crianças, ou seja, a parte interna do dente que contém o nervo, é muito grande tornando o branqueamento muito desconfortável).

Dentes com diferentes tonalidades podem ser uma contraindicação, na medida que, no final do tratamento, o dente poder-se-á apresentar mais claro mas manter uma diferença de cor entre áreas mais escuras e mais claras.

O branqueamento dentário pode ser feito tanto em dentes sadios como nos dentes desvitalizados (dentes cujo “nervo” foi removido) e de uma maneira geral é mais difícil branquear dentes sadios que dentes desvitalizados.
Com o objectivo de melhorar os resultados, deve-se iniciar o tratamento com uma limpeza dentária profissional. Segue-se os seguintes passos (fases de tratamento):

  • a reabertura do canal no caso dos dentes desvitalizados e colocação da substância química branqueadora no inicio do canal após prévia protecção do mesmo. De seguida o dente será obturado com uma massa provisória. O procedimento poderá ser será repetido até que os resultados sejam satisfatórios. No final proceder-se-á respectiva obturação definitiva com resina composta.
  • moldes das arcadas dentárias com o objectivo de confeccionar as “goteiras” (contentores feitos num material borrachoide e transparente) nas quais se depositará a dose diária do gel branqueador que se adaptará logo de seguida aos dentes (normalmente só se branqueia os premolares, caninos e incisivos).

O tempo de tratamento diário varia consoante o material usado e respectiva concentração. Já o tempo total raramente ultrapassará as 2-3 semanas.

Advertências em caso de branqueamento dentário

Como advertências sugere-se:

  • seguir à risca as instruções do profissional de saúde
  • não exagerar na quantidade de produto dentro da goteira para evitar extravasamento aquando da colocação em boca
  • remover com o dedo ou cotonete eventual excesso que possa entrar em contacto com as gengivas
  • não fazer mais que o tempo diário acordado com o seu dentista. Se por acaso a solução branqueadora causar irritação gengival nomeadamente sensação de queimadura e com aspecto esbranquiçado, deverá entrar em contacto com o seu dentista. Normalmente se isto ocorrer será temporário (horas no máximo poucos).
  • deve observar diariamente os seus dentes e avisar o dentista quando alcançar a cor desejada.

Se quer branquear os seus dentes mas algum dos seus dentes anteriores está revestido, seja por restauração em resina seja por “faceta” ou “coroa de revestimento total” (em resina, metalo-resina, metalo-cerâmica ou cerâmica pura), então deve branquear primeiro os dentes naturais e depois proceder à substituição dos dentes revestidos. É muito mais fácil para o dentista substituir as coroas por outras com a cor dos dentes branqueados que fazer o inverso, pois é impossível prever e controlar a cor final que se deseja com o branqueamento.

O branqueamento dentário é uma experiência indolor para a maioria dos adultos. No entanto, por vezes surge referências a desconforto nas 8 primeiras horas após o tratamento, facilmente controlado com um analgésico tipo Paracetamol ou Ibuprofeno. Em muitos poucos casos o desconforto referido pode perdurar por 24 horas e implicar mesmo a interrupção temporária ou permanente do tratamento.

Conte com a nossa equipe médica para o aconselhar acerca do plano de tratamento que melhor se adequa às suas pretensões.

Ler+: Estética dentária: restaurações.

Ainda sem comentários.

Deixe um comentário

You must be Logged in to post a comment.